sábado, 18 de maio de 2013

CAPÍTULO 76 MARATONA


Joe havia mudado as minhas coisas definitivamente para o seu quarto.
Nossos pertences se misturavam, amontoados de maneira organizada coisas dele, claro; e eu sabia que aquela organização toda não duraria muito tempo. Entretanto, levei certo tempo para perceber as mudanças. Joe estava levando muito a sério seu plano de “recuperar o tempo perdido”, o que não me surpreendeu, e obviamente não me opus.
Pouco antes de sairmos para o jantar com a família Jonas, resolvi que eu também precisava apresentar Joe a meu avô. Da forma que podia. Por isso, entreguei a ele a carta que recebera no dia do nosso casamento e que ele se negara a ler.
- Tem certeza? – ele perguntou, e o brilho ansioso em seus olhos me fez rir.
- Está com medo, Joe?
Ele correu a mão pelos cabelos e exalou pesadamente.
- Acho que sim – admitiu.
Então se sentou no sofá, enquanto me acomodei, de frente para ele, sentada sobre a pequena mesa de centro. Minhas mãos se contorciam nervosamente sobre meus joelhos.
- Quer que eu leia em voz alta? – ele perguntou, abrindo o envelope.
- Não sei – dei de ombros. – Faz tempo que não sonho com ele, ando me sentindo meio abandonada, mas... sei lá... Se quiser ler só pra você, tudo bem.
- Acho que não tem problema você ouvir. – Ele deslizou a mão pelo rosto, endireitou os ombros e começou:
Caro Genro,
Acabo de entregar a você o um bem mais precioso. A Demetria é uma garota muito especial, embora eu desconfie que você já sabe disso. Por isso exijo nada menos que o impossível de sua parte para fazê-la feliz.
Joe sorriu.
- Exijo foi grifado duas vezes.
Sorri também.
Minha neta é uma menina muito doce, embora tente esconder isso, e, apesar de dizer o contrario, ela precisa de certos cuidados. Cuidados que um homem apaixonado logo notará. No entanto, gostaria de alertá-lo sobre algumas coisas especificas.
Oh- oh!
Dedetize a casa de vocês a cada seis meses, pois a Demetria tem pavor de insetos. Especialmente lagartas e borboletas, mas todos os outros também a incomodam.
- Ei! – Me levantei indignada. – Isso é mentira!
Ela tende a inventar historias e dar voltas, mas a verdade é que chuva a deixa apavorada. E tempestade a deixa em pânico.
- Traidor! Me dá isso aqui! Tentei tomar o papel das mãos de Joe, que se desvencilhou com agilidade e se colocou de pé, ainda lendo.
Sei que você descobrirá seu próprio jeito para acalmá-la, então fique atento. É importante que saiba que ela tem alergia a pelo de gato. Foi um transtorno quando tive que me livrar do gatinho de estimação que a Demetria tinha quando pequena.
Parei de lutar com Joe.
- O vovô fez o quê?
Ela vivia em crise alérgica, e partiu meu coração ter que levar o gato para uma família de amigos meus que vivem no interior do estado, mas eu precisava cuidar da saúde da minha neta. Não conte isso a ela, por fav...
- Ops! – Joe mordeu o lábio inferior. – Desculpa, sr. Marcus.
- Não acredito que ele se livrou do Chantecler – murmurei, atônita. – Eu pensei que ele tivesse fugido!
- Seu avô estava pensando no melhor pra você – rebateu Joe, dobrando a carta. – Acho melhor eu ler o resto sozinho.
- Nem pensar! Termina com a sessão humilhação de uma vez por todas.
Ele me examinou atentamente antes de ceder e prosseguir:
- Certo. Hã...
Não conte isso a ela, por favor. E, se porventura ela decidir ter outro gato de estimação, tente convencê-la a desistir da ideia. Sei que não é tarefa fácil, mas, se você conseguiu levá-la ao altar, terá ao menos uma pequena chance de ser bem-sucedido.
Não ouse tratá-la de maneira desrespeitosa e nem sonhe em traí-la, meu rapaz, ou darei de um jeito de me entender com você, ainda que eu já esteja morto. Estamos de acordo?
Joe levantou os olhos e me mostrou um sorriso torto.
- Você tem muita coisa do seu avô.
- Acabou?
- Quase. – Ele voltou a ler.
Dito isso, só posso acrescentar meus votos de felicidade e desejar-lhe boa sorte. Seja bem-vindo à família. E faça por merecer a garota que o escolheu para ser seu parceiro de vida.
Abraços, Marcus
Joe correu os olhos pela página e então começou a rir.
- Ouve só isso. Ele adicionou dois PSs. O primeiro diz: “Eu sabia que você mostraria a carta a ela. A Demetria sabe te enrolar direitinho, não é, rapaz?” E o segundo é pra você. “Demetria, querida, foi necessário afastar Chantecler. Eu não podia permitir que você se tornasse asmática por causa daquele gato. Me perdoe.” – Joe olhou para mim , meio sorrindo, meio estupefato. – Como ele fez isso? Como ele sabia?
Dei de ombros.
- O vovô sempre entendeu como eu funcionava. Acho que ele deduziu que eu te... Hã...
- Enrolaria – ele sorriu, laçando os braços em minha cintura e beijando minha testa. – Obrigado Demetria. Por me permitir fazer parte da sua família.
- As coisas que o vovô disse não são verdade – argumentei.
Pelo sorriso que se espalhou em seus lábios, ele não acreditou em mim nem por um segundo.
- Eu sei – e se inclinou para me beijar. – Agora vamos andando, ou vamos chegar atrasados.

5 comentários:

  1. Preciso dizer que ta perfeito??
    Ta muito lindo mesmo,parabéns!!
    Vai postar mais algum hj??Tenta por favor!!!
    Bjs

    By:Mary pires

    ResponderExcluir