segunda-feira, 10 de junho de 2013

CAPÍTULO 7



Joseph voltou à consciência lentamente e o mundo se endireitou. As batidas frenéticas de seu coração recuperaram seu ritmo normal. A realidade o atingiu em cheio e com clareza dolorosa.
Ele sentiu o corpo sedutor unido ao seu, sentiu a maneira possessiva que seu próprio braço a envolvia, e ficou tenso.
Pensou no que acabara de acontecer... como tinha se permitido a chegar àquele ponto. Como permitira que ela o levasse a tal ponto, como se ele não tivesse controle sobre a situação? Desde o momento que a vira no bar e se deparara com aqueles olhos castanhos misteriosos, tudo havia mudado. Algo com que ele não contara: desejá-la com um fervor que excluía tudo que já sentira na vida. Aquilo era humilhante, chocante e consumidor.
Agindo por puro impulso, guiado por alguma coisa que não podia entender bem nem mesmo agora, disse a si mesmo que ele era apenas Joe... tinha mantido sua identidade real secreta. O rosto dela o hipnotizara: uma pele linda, branquinha fazendo-a parecer muito jovem e inocente.
Joseph reprimiu seus pensamentos enquanto se desvencilhava cuidadosamente do corpo adormecido de Demi. Forçou-se a analisar com frieza o que acabara de acontecer. Ele quisera ver o que ela faria... ver a mulher que passara tempo com sua Irmã, fingindo ser amiga dela. Demi tentaria seduzi-lo? Seus instintos haviam se provado certos, e também o instinto de revelar sua identidade por enquanto. Suas justificativas o confortaram, mesmo enquanto ele registrava a revelação desagradável de que não pretendera ir tão longe.
Lembrou a si mesmo de que a vira em ação antes mesmo de conhecê-la... abraçada ao barman quando ele entrara na boate, apenas para voltar as atenções para ele assim que Joseph chegara, provando ser uma sedutora consumada. Cheia de pequenos truques inocentes. Por um momento lá, ele tivera a ridícula impressão de que ela pudesse ser virgem, mas Demi logo esmagara tal suspeita, tomando-o com a confiança que só poderia ter nascido da experiência.
Ele sentou-se na cama, antes de se levantar, seus músculos protestando. O ato de amor tinha sido tão apaixonado, tão incrível que Joseph não podia se lembrar da última vez que experimentara um sexo tão ardente... se é que isso ocorrera algum dia. E justamente com ela. Ele foi para o banheiro, desgosto somando-se à sua raiva. Livrou-se do preservativo e virou-se para se olhar no espelho, o rosto rígido de tensão.
Fúria o percorreu. Aquela seria uma doce vingança, afinal de contas... porque Demi compartilhara sua cama nessa noite sem saber quem ele era, sem dúvida esperando que ele lhe desse um estilo de vida exorbitante, agora que o irmão se fora.
Disse a si mesmo que a convidara para ir ao hotel como um teste... não porque a quisera com uma urgência que beirava o desespero. Mas no fundo sabia que, no momento que Demi parara diante dele no ar frio da noite, todos os pensamentos sobre Selena tinham sido esquecidos no calor da excitação, suas motivações se tornando confusas. Ele tinha de lhe dar crédito. Ela era boa. Um homem menos cínico teria sido enganado pelo jeito que Demi voltara atrás e se oferecera com toda a inocência fingida de uma novata. Como se ela não fizesse isso o tempo todo.
Mas Joseph aprendera muito cedo como as mulheres podiam ser egoístas e manipuladoras. Sua própria mãe lhe ensinara essa lição. E ele aprendera bem. Em última análise, elas cuidavam de si mesmas, e era exatamente o que Demetria Lovato estava fazendo... já querendo construir seu ninho, procurando por seu próximo sustento...
O irmão dela havia seduzido Selena com toda intenção de roubar-lhe a riqueza e abandoná-la na beira da estrada. Havia uma simetria irresistível no que acabara de acontecer. Joseph faria com Demi algo similar ao que ela e o irmão tinham planejado fazer com a irmã dele.
O rosto sem vida de Selena voltou-lhe à mente. Ele não sentiu remorso ou culpa agora. Reprimiu todas as emoções. Aproveitara-se de um desejo físico intenso. Podia admitir isso. Demi era uma mulher linda, afinal. Era bem versada, e certamente possuía conhecimentos que sua irmã protegida nunca tivera. Selena fora uma presa fácil para um predador corrupto como Taylor Lovato.
Talvez Demi tivesse surpreendido e enfeitiçado Joseph mais do que ele esperara, mas, essencialmente, era ali que ele a queria: à sua mercê e sentindo toda a dor que alguém como ela tivesse a capacidade de sentir, o que ele supunha que não era muita. Isso era muito melhor do que confrontá-la e tentar fazê-la admitir a culpa. Ela teria rido dele. Uma mulher que podia dormir com um completo estranho na noite depois de enterrar o próprio irmão era alguém que Joseph facilmente desprezaria.
Ele entrou no banho. Depois, voltou para o quarto a fim de se vestir e esperar que Demi acordasse.                                                   

 -------------------------------------------------------------------------------------------
Então antes que fiquem confusas, Demi está se mostrando quem realmente é, e isso por incrível que pareça ta fazendo com que Joe tire suas dúvidas sobre o que acha de Demi e detalhe: da forma errada, Demi já já vai sofrer mais um pouquinho, pois acidentes acontecem com qualquer um....
Comentem!      

5 comentários:

  1. eu to ficando com muita raiva do Joe, mas algo me diz que essa raiva só vai aumentar daquipra frente :/
    posta maaaais *__*

    ResponderExcluir
  2. o joe vai ficar besta quando descubrir que a demi não tem nada a ver com a morte da selena. já estou com muita raiva dele.
    posta maaaaaaaaaaais

    ResponderExcluir
  3. posta mais, por favor!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Omg, a historia ta fantastica!!!

    ResponderExcluir
  5. aaa ta tão lindo posta logo, beeijos

    ResponderExcluir