domingo, 2 de março de 2014

CAPÍTULO 57

— Obrigada.
— Com seu currículo e suas credenciais, conseguirá facilmente outro emprego. Mas tenho uma ideia me­lhor. — Mexeu os pés e pareceu inseguro, o que era iné­dito. — Case-se comigo.
Ela ficou sem fôlego.
— O quê?
— Quero você... e Cody de volta à minha vida. De maneira permanente.
Demi estudou o rosto do homem que amava com desespero e ficou tentada a dizer sim. Mas não podia.
— Joseph, não aceitarei nada menos do que um homem que me ame incondicionalmente. Você nos cortou... e cortou seu filho... de sua vida sem nenhum remorso.
Ele franziu a testa.
— Foi um erro. Acreditava honestamente que, se ten­tasse, poderia me impedir de gostar de você e dos meni­nos. Mas estava enganado. — Tomou-lhe as mãos e, por um momento, ela se perdeu no calor e na força das mãos dele. — Eu me apaixonei por você, Demi. Por seu sorriso, sua risada, suas sardas, mas, principalmente, pela ma­neira como abre o coração para quem precisar. Eu pre­ciso. Preciso de você. Minha casa é vazia sem você. E sou vazio sem você. E o trabalho... simplesmente não consegue preencher o vazio que você deixou.
As palavras eram perfeitas, mas Lucas lhe ensinara que precisava de mais. Precisava que as ações provas­sem o que se dizia.
— Não sei se acredito em você.
— Pedi a Ash custódia conjunta de Graham, e ela con­cordou. Quero fazer parte da vida dele, vê-lo crescer.
A esperança dela desapareceu.
— É por isto que me quer? Para ajudar a cuidar dele?
Ele pareceu chocado.
— Não. Sim. Os dois, acho. Mas não quero que cuide de crianças. Tenho sido um covarde emocional. Mas você... você ama sem medo. Quero que me ensine a ser assim. Quero que sejamos uma família de novo... a família que você criou. Minha vida é mais rica com você e os meninos nela.
A esperança renasceu. Queria tanto acreditar. Mas precisava de provas.
— Não sei, Joseph. Tudo me parece conveniente... demais.
— Você me ama?
Queria tanto poder mentir!
— Esta não é uma pergunta justa, e eu...
— Ama, Demi?
O olhar exigente a impediu de mentir.
— Sim. Mas isto não é apenas sobre mim. Tenho que pensar em Cody. Não sei se você pode ser o pai de que ele precisa.
Joseph recebeu a rejeição com estoicismo.
— Venha ao baile desta noite. Depois disto... provarei a você que posso ser o marido que merece e um bom pai para nossos meninos.

Nossos meninos. Engraçado como aquelas duas palavrinhas podiam brilhar com tanta promessa. Mas só o tempo diria.

Já tá me dando um nervoso com o final.

20 comentários:

  1. Posta por favor sem or ahuahhhjsnsmmm

    ResponderExcluir
  2. MAISSSSSS.. DEUS, QUE DIVO!! Posta Logo!!

    ResponderExcluir
  3. agora que li todos esses... aaaiiiiiiii joe finalmente, ate q enfim deixou de ser idiota.. maaaaiiiiiisss

    ResponderExcluir
  4. Posta maiiiis logooo hj

    ResponderExcluir
  5. amando! q pena q tá no fim ...q tal uma segunda temporada?????

    ResponderExcluir
  6. ñ demora aflita p ler !!!!

    ResponderExcluir
  7. ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++....please!

    ResponderExcluir
  8. co sempre uma história q vale a pena ler ..emoção garantida!

    ResponderExcluir
  9. MAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIISSSSSSSSSSSSSSS...

    ResponderExcluir
  10. Estou rindo que nem estúpida agora

    ResponderExcluir