segunda-feira, 29 de julho de 2013

CAPÍTULO 23


Agarrando uma lanterna, Joseph deslizou para a escada de serviço escondida entre as paredes, e desceu um andar, dirigindo-se ao outro lado da casa.
— Kelly? Kelly?
— Papai?
— Fique onde está, princesa. Já estou chegando.
— Estou com medo… A gatinha miou.
— Eu sei, querida. Continue falando comigo. — Joseph subiu a escada estreita. — Pode ver a lanterna?
— Não. — Era possível perceber o pânico na voz dela.
— Está tudo bem, princesa. Papai está aqui. Nada vai acontecer.
— Está bem.
Joseph sorriu, percebendo que ela tentava ser corajosa.
Ele virou a curva seguinte, desejando que a passagem estreita tivesse alguma iluminação. A escada de serviço, entre as paredes, percorria todo o castelo, e embora ele conhecesse o caminho no escuro, Kelly poderia ficar presa ali durante vários dias, sem encontrar a saída.
— Como achou a escada na parede?
— Serabi passou por baixo da parede, no canto do meu quarto. Ele devia ter deixado parte do painel aberto na noite anterior. A culpa era sua!
— Estou vendo a luz, papai.
O alívio era evidente na voz da menina. Logo Joseph desviava o facho de luz, localizando-a. Inclinando-se, abraçou-a e pegou-a no colo. Se alguma coisa acontecesse com ela… Kelly passou os braços à volta do pescoço dele, e Joseph beijou-a no rosto, acariciando as costas da menina, que tremia e soluçava.
— Está tudo bem, querida. Papai está aqui.
— Eu estava com tanto medo…
— Eu sei, meu bem, eu sei.
Joseph carregou-a de volta para a saída. Apertando a saliência na parede, a porta se abriu. Ele colocou-a no chão, e Kelly correu para o corredor.
— Demi, Demi!
— Oh, Kelly! — ela gritou, correndo para abraçar e beijar a menina. Kelly começou a rir. Joseph ficou parado na soleira da porta entreaberta, vendo Demi abraçar a menina. O amor que sentia pela criança refletia-se nos olhos dela, misturado às lágrimas que tentava conter.
— Querida, onde você estava? Fiquei tão preocupada! Agora ela saberia, pensou Joseph.
— Dentro das paredes.
— O quê?
— Há uma escada de serviço, com passagens escondidas dentro da parede, que percorre toda a casa — explicou Joseph.
Demi virou-se, olhando para ele. Semi-escondido, podia ver apenas que usava short e uma camiseta preta. A luz refletia-se nos músculos fortes das coxas, e imagens da noite passada voltaram de repente. Mas Demi afastou-as com raiva.
— Passagens? — repetiu . — Meu Deus, Joseph! Ela podia ter caído, se machucado. Eu nunca iria encontrá-la! Você devia ter me avisado sobre isso.
— Sinto muito, srta. Demi — disse Kelly.
— Não é sua culpa — disse Demi, abraçando-a carinhosamente.
— É assim que vem para o meu quarto, não é, papai? — Kelly olhava para os dois, com expressão preocupada.
— Sim, princesa.
Não era de admirar que ele pudesse andar pela casa tão facilmente. Colocando a menina no chão, Demi cruzou os braços. — Que notícia!
— Só fui ao quarto dela — esclareceu Joseph, sabendo o que ela estava pensando.
— Jamais pensaria que fosse ao meu — disparou Demi.
— Afinal, tem muitas luzes.
— Papai lê para mim todas as noites.
Demi olhou para Kelly, sem esconder a surpresa.
— O quê? — Ela fitou Joseph, os braços ao lado do corpo.
— Você lê para ela? Vai até o quarto por trás das paredes?
— Sim.
Demi deu um passo à frente e colocou o dedo indicador no peito dele.
— Isso é… é… — Ela suspirou, pousando a mão nos músculos fortes. — E maravilhoso, Joseph. Fico feliz por vocês dois.
— Isso muda muito pouco.
— Mas me permite ver que pode se arranjar sozinho, se eu for embora.
Ele inclinou-se e Demi sentiu o perfume que usava, o aroma masculino, e seus sentidos se aguçaram, desencadeando uma onda de desejo.
— Você não vai embora — resmungou ele. Não podia nem pensar nisso. Não agora.
— Por favor, srta. Demi, não vá! Por favor! — pediu Kelly, e o pânico na voz da menina cortou o coração de Demi.
— Eu não vou embora, querida. Ainda não — disse, num tom mais baixo, só para Joseph, imaginando como conseguiria deixá-los algum dia. — Eu já disse — murmurou. — Não posso continuar assim.
Ele inclinou a cabeça, a boca a poucos centímetros dos lábios dela.
— Mas vai continuar.
Por Kelly. Era isso que ele queria dizer. Mas Demi não concordaria tão facilmente, sem discutir.
— Continuaremos nossa conversa mais tarde, sr. Jonas — disse, virando-se para Kelly.
— Sim, bela, tem razão.
As palavras dele soavam como uma ameaça.
— Está zangada com o papai? — perguntou Kelly, enquanto Demi segurava a mão dela.
— Sim, querida.
— Por quê?
— Porque ele é… teimoso. — E orgulhoso, desconfiado. Queria que acreditasse nela, que confiasse nela. E que a beijasse, como na noite anterior.
— Oh!
Demi sorriu. Kelly não entendeu, mas segurou a mão dela.
— Venha, querida. Ainda tem tempo de tirar uma soneca antes do jantar. — Kelly não pareceu muito animada, mas foi para o quarto, apertando Serabi contra o peito. — Quanto a você, Joseph…
— Sim? — retrucou ele, calmamente, observando o corpo delineado pela saia jeans justa e lembrando como era senti-la reagir ao toque de suas mãos.
Ela parou na porta do quarto de Kelly e virou-se, olhando para ele, meio escondido nas sombras.
— Tem pernas fantásticas — provocou, sem deixar de fitá-lo.
Ele riu, sentindo que as palavras dela faziam seu corpo arder de desejo, lembrando a noite anterior. E então, o batente da porta lhe pareceu uma barreira. De um lado havia apenas solidão, rodeando-o como uma nuvem sufocante. Do outro, estava Demi, a esperança, a liberdade e a oportunidade de ter muito mais.
Demi virava na cama, inquieta, e pela primeira vez o som de chuva e trovões não a reconfortava. Se não descansasse estaria exausta no dia seguinte, pensou, culpando Joseph. Depois de dar banho e jantar para Kelly, tinha lido um pouco, desenhado, tomado chá de camomila. Mas nem mesmo o alívio de encontrar a menina sã e salva e a alegria de saber que Joseph passava algum tempo com ela conseguiam aliviar a tensão que a dominava.
Estava inquieta, agitada, consumida pela paixão, e o culpado era Joseph. Os momentos que havia passado nos braços dele não lhe saíam da memória. Atirando as cobertas para o lado, levantou-se e foi até a janela. Puxando as cortinas, sentou-se na poltrona próxima e contemplou a tempestade. O mar estava escuro, e as ondas enormes explodiam numa espuma branca que se destacava ã luz dos relâmpagos. Ela sentia-se exatamente como aquele mar, vivo, agitado, selvagem.
Olhando para o roupão, sobre a poltrona, imaginou se deveria procurar Joseph e tentar convencê-lo a confiar nela. Mas sabia que não adiantaria. Ele o faria quando estivesse pronto. Se algum dia estivesse… Se insistisse, tinha medo que ele recuasse, e pelo bem de Kelly não podia arriscar. Estava ali por causa da menina, lembrou a si mesma. A criança precisava de um pai de verdade, que pudesse encará-la, e ao resto do mundo, sem qualquer restrição.
Parte dela sofria pelo homem gentil e terno, forçado a esconder-se. Pelo homem que desejava poupar sofrimento aos outros, mas sofria sozinho, escondido nas sombras.
Demi percebeu como gostava de Joseph. E teve medo. Tinha sido muito magoada por Wilmer, mas reconhecia que Joseph era capaz de enxergar além das aparências.
De certo modo eram parecidos. O acidente mudou a vida dele por completo, alterando planos e prioridades. O noivado rompido mudou a sua vida, fazendo-a perceber que podia confiar em poucas pessoas. E que era difícil encontrar alguém que a visse como era realmente, e não apenas sua beleza.
Joseph achava que era bonita demais para querer um homem como ele. Mas não percebia que ela não enxergava as cicatrizes, não notava como ele procurava esconder que mancava levemente. Ela havia se encantado com a voz na escuridão, com os beijos ardentes que deixavam seu corpo em fogo, com o homem que conseguira ver nela a artista escondida.
E imaginou como podia ter se apaixonado por um homem que não podia confiar nela, nem mesmo o suficiente para mostrar-lhe o rosto.
 _________________________________________________
HEU PSIU O PRÓXIMO É HOT. ENTÃO COMENTEM MAIS E MAIS E LOGO POSTO O TÃO ESPERADO HOT.

9 comentários:

  1. OMG QUE PERFEITO!!!! QUE VENHA LOGO O HOT! =)

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhh, finalmente admitiu que está apaixonada por ele *-----*
    O próximo eh HOT?? :O postaaaaaaaaaaa kkkkk

    ResponderExcluir
  3. Amei...vai Demi atrás dele, sem medo de ser feliz! kkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. aaai que lindo!! posta posta posta posta:))))

    ResponderExcluir
  6. Aaaah lindoooo demaiiis, ai meu Deus estou mt curiosaa Fê, o joseph vai sair das sombras agora ????

    ResponderExcluir
  7. aai gennte ansiosa! POSTA PLEASE :DDDD

    ResponderExcluir
  8. ebaaaa HOT!!! postaaa loogo ^^

    ResponderExcluir