quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

CAPÍTULO 17

Com lágrimas de fúria e frustração nos olhos, Demi encolheu diante da humilhação. Como Joe ousou acreditar que ela pudesse ter sido tão patética? Tão louca por ele que pudesse consentir as condições daquele casamento? Mais uma vez, ela estava avaliando o quanto a relação deles foi tênue quando se casaram. Ambos foram muito orgulhosos para baixarem suas defesas.
Na época do casamento, o apartamento de Joe estava em reforma e eles foram forçados a iniciar a vida de casados sob o teto dos pais dele. Eles tiveram que dormir em quartos vizinhos, separados por uma porta trancada. Cercada pela frieza de Joe e longe da família, ela se sentiu mais isolada e desprezada do que nunca. Em poucas semanas, usou a doença da mãe como desculpa para sair de Atenas. Ela e Joe nunca chegaram a dividir nada. Uma lua-de-mel certamente teria feito a diferença. Será que ela agora deixaria o orgulho se intrometer no que seria a melhor chance de realmente fazer alguma coisa pelo casamento deles? Deveria ficar satisfeita por Joe querer levá-la dali e passar um tempo com ela? De repente, ela viu como sua própria atitude negativa poderia acarretar o que mais temia. Ela pulou da cama apavorada. Ao perceber que Joe desligara o chuveiro, ela pegou a camisa dele e vestiu. Ela tinha o cheiro da pele dele e um vestígio do sofisticado perfume que ele usava. Aquela fragrância era incrivelmente
familiar.
- Joe?
Joe jogou os cabelos molhados para trás com um movimento gracioso. Demi descobriu que tirar os olhos de cima dele era um exercício de autonegação. Com uma toalha enrolada na esbelta cintura e gotas d'água escorrendo dos cabelos, Joe estava de tirar o fôlego.
- Estive pensando e reconsiderei a ideia da lua-de-mel - ela resmungou. - Possivelmente fui um pouco... desagradável. Exagerei com relação ao abrigo. Com um administrador aqui na fazenda, sei que não há necessidade.
Os ardentes olhos cor de mel se fixaram nela.
- Nenhuma - ele confirmou. - Você está tão linda com a minha camisa que tenho vontade de despi-la.
Ele pôs as mãos nela e a puxou para perto. Ela ficou com a boca seca, a garganta apertada e impotente diante do desejo que fazia todo seu corpo tremer. Ela sabia que deveria perguntar a ele quando partiriam, mas conforme ele começou a tirar a camisa que ela vestia, Demi não encontrou forças para fazer a pergunta.
Demi sentiu-se estranha ao se vestir. Joe comprou várias roupas de grife para ela antes de embarcarem para a lua-de-mel, mas ela quase não usou as peças do enxoval. Na realidade, nas últimas três semanas, ela viveu com o mínimo. Ao pensar nisso, sorriu, constrangida.
Joe a levou para a Toscana para ficarem em um antigo vilarejo cercado por alamedas de oliveiras, Era um lugar parado no tempo e, em todos os sentidos, um refúgio onde o resto do mundo parecia distante.
Demi estava feliz desde o dia da chegada deles. Conforme cada longo e preguiçoso dia se emendava no outro, eles se aproximavam ainda mais. Ela sentiu saudades daquele laço de amizade e afeição quando ficaram brigados.
A paixão simplesmente acrescentou um tom muito estimulante à relação deles. Mesmo assim, Demi estava tão apegada à Joe que parecia sua sombra. Todos os dias, ela acordava com a mesma sensação prazerosa de descoberta. O sol da manhã, filtrado pela persiana, lançava flechas de luz e sombra sobre o magnífico corpo bronzeado de Joe, ele espreguiçava como um tigre indolente. Observando-a com os sonolentos olhos cor de mel, ele lançava um olhar ardente sobre ela e a puxava para junto de seus braços para
fazerem amor.
Há poucas semanas, ela teve medo de confiar nele.
Desde então, contudo, descobriu que ficava impressionada com a inabalável crença de Joe de que o casamento deles tinha um grande futuro. Eles passavam muito tempo juntos e, ainda assim, soltavam faíscas quando se tocavam. Aquela proximidade, o maravilhoso contato físico e a aceitação significavam muito para ela.
Com frequência, no meio da noite, ela se enrolava em volta dele como uma trepadeira enquanto ele dormia. Mas Demi guardava todas essas demonstrações de amor e dependência para momentos roubados.
Afinal, Joe gostava de ser desafiado. Divulgar a fraqueza, deixar que ele soubesse o quanto ela o amava, poderia mudar o equilíbrio de poder para sempre. Distraidamente, Demi pegou um vestido turquesa-claro. Era o último dia deles. Seu coração ficou apertado e ela se censurou. Tal privacidade e aquele grude o tempo todo não durariam para sempre, e seria egoísta desejar que fosse assim. Robert Donnington era um velho amigo de Joe e, quando soube que eles estavam na Itália, convidou-os para almoçar em sua casa na Toscana.
Demi se olhou no espelho. O significante inchaço de seus seios fazia com que eles saltassem do decote do corpete e ela fez uma careta. O vestido estava mais apertado do que na semana anterior. Seriam as pílulas? Seus seios estavam mais sensíveis do que de costume. Estaria retendo líquido? Ou estava apenas se recusando a aceitar o óbvio? Será que ela simplesmente estava engordando em consequência do duplo pecado que cometera: muita comida e preguiça? Ela tentou outras roupas. Demi estava apavorada ao constatar que todas estavam apertadas no busto. O monte de roupas sobre a cama crescia e sua frustração aumentava, porque há muito tempo não se preocupava com o que vestia. Ela deu um suspiro e colocou o vestido que já estava usando que parecia melhor do que qualquer outro.
Ela caminhou até o terraço.
- Estou engordando - informou à Joe.
Esbelto, bronzeado e espetacular dentro de uma camisa branca e com uma calça de algodão, ele estendeu a mão para ela e puxou-a.
- Não pare de comer - ele pediu - Só poderia ficar mais sexy.
Percebendo que o olhar descarado dele estava fixo em seus abundantes seios, ela lhe lançou um olhar incrédulo.
- Joe?
- Não consigo evitar - ele confessou com um sorrisinho. - Adoro seu corpo. Ele é maravilhosamente voluptuoso.
Aquela palavra mágica fez Demi se lembrar das gordinhas nos quadros de Rubens, mas não disse nada. Se havia algo que tinha aprendido, era que Joe verdadeiramente não conseguia manter as mãos longe dela e isso fazia muito bem para sua auto estima. De vez em quando, uma fraca e perigosa voz em seu subconsciente tentava lhe sugerir que a libido exacerbada de Joe deveria explicar sua aparente irreversibilidade que ela recusava a ouvir. Ela estava determinada a manter uma atitude positiva. Demi resolveu que quando voltasse para casa entraria em uma dieta que lhe devolveria o peso anterior.
Joe passou os braços sobre ela e a trouxe para junto da proteção de seu musculoso corpo. Sorrindo, ela se recostou nele.
- Feche os olhos - Joe a instruiu.
O sol acariciava o rosto de Demi e ela sorriu quando ele levantou uma de suas mãos.
- Não olhe agora - ele disse.
Sentindo a tensão dele, ela olhou para baixo com aparente surpresa ao ver o anel que agora enfeitava o dedo da aliança, o diamante brilhava tanto que ela chegou a piscar.
- É uma aliança de casamento, uma decente.
- Oh ...
A garganta dela travou e os olhos embaçaram. Em outra época ela já tinha sido uma adolescente que sonhara em fazer uma declaração romântica na presença da família para exibir sua aliança de noivado, mas a vida lhe mostrou que era um engano. Por esta razão, o significado do presente de Joe tocou-a tão fundo.
- Nossos nomes estão gravados nele... bem como a data da bênção do nosso casamento - Joe falou.
- É maravilhoso.
- É para marcar nosso novo começo.
Ela olhou para aquele rosto anguloso, como sempre atenta à expressão forte e à fabulosa estrutura corporal. Ele estava incrivelmente lindo, mas, enquanto ela lutava com a falta de ar que ele sempre lhe provocava, falou:
- Você não pode reescrever o passado.
- Mas não precisamos fazer isso. Você agora é minha mulher em todos os sentidos.
Os músculos da barriga dela se contraíram diante da simples entonação da voz mansa dele, provocando uma reação no inconsciente dela. Em todos os sentidos; ela concordou. A boca já estava ficando seca e ela conhecia muito bem o poder dele sobre ela. Caloroso, apaixonante e incrivelmente masculino como era, Joe quebrava qualquer barreira, e a ensinou a ansiar por ele como se fosse uma droga. A força  dele trazia junto uma forte dose de profunda arrogância e obstinação. Mesmo tendo sido cativada por seu imenso charme, ela sabia que ele acreditava que poderia reescrever a história.
Olhando fixamente para Demi, Joe passou o dedo sobre o rosado lábio inferior dela de forma provocante.
- Você está feliz, não está?
- Sim - a fala sensual dele a deixou tonta de desejo.
- O passado, o que veio antes, não importa mais. - Joe disse com imensa satisfação.
O celular dela tocou e desviou seu olhar para procurar o aparelho dentro da bolsa. Era o Zac.
- Eu consegui o emprego. Finalmente, tenho um emprego permanente!
Demi deu uma risada.
- Eu lhe disse que conseguiria. Quando começa?
- No mês que vem. Quando você volta?
- Amanhã.
Quando pôs o telefone de volta na bolsa, ela notou que Joe estava olhando fixo para ela.
- O que há de errado?
- Estamos atrasados para o almoço.
- Oh, querido, a culpa é minha. Eu demorei horas para me vestir!
- Sem problemas - Joe murmurou com sua voz rouca. - Onde é a nova escola do Zac?
- Em Londres.
Joe resistiu à vontade de mencionar o quanto Londres era mais perto e conveniente para Oakmere Abbey. Afinal, ele sabia que Zac era apenas um amigo que comentava tudo sobre sua vida com Demi.

Joe achava que Zac era uma pessoa fraca a quem sua mulher protegia. Uma criança seria capaz de bater naquela mosca morta, Joe pensou divertido.
____________________________
ESSE FIM DE SEMANA TEM MARATONA, DESCULPEM A DEMORA NÃO FOI POR MAL SIMPLESMENTE ESTAVA MUITO OCUPADA MAS VOU COMEÇAR A POSTAR REGULARMENTE DE ACORDO COM O TEMPO LIVRE QUE VAI APARECER, VOU CONTINUAR POSTANDO FICS COM ESSES MESMOS PERSONAGENS :)  

10 comentários:

  1. Demoro heim !!! Pooosta mais

    ResponderExcluir
  2. Capitulo Maravilhoso. Demi ta gravida? ... Posta Logo Por Favor. <3

    ResponderExcluir
  3. concerteza a demi ta gravida amei posta logo

    ResponderExcluir
  4. Ameei <3
    Ahh ela ta gravida ne? Ahh tomara.
    Maratona ebaa.
    Posta Logo
    Xoxo

    ResponderExcluir
  5. Cadê a maratonaaa???
    Capítulo perfeito posta mais!!

    ResponderExcluir
  6. começa logo essa maratona!! tô amando!

    ResponderExcluir
  7. Maratona isso soa tão bem!! kkkkkkk :3
    Não demore

    ResponderExcluir
  8. Ai rosana me segura
    Amei o capitulo
    Maratona vindo ai *-* ~~rebola ragatanga~~
    Mais fics Jemi awnn não to belivando *o* vai ser top
    Posta logooo
    Beijos!!

    ResponderExcluir