domingo, 24 de novembro de 2013

CAPÍTULO 11

As belas feições de Joe tinham um ar ameaçador.
Ele observava o jornal aberto sobre sua mesa com a foto de sua mulher de mãos dadas com seu grande amigo, Zac.
- Com relação a quê?
- Estou metida em uma encrenca. Você me faria um empréstimo? Você teria que esticar os pagamentos para uns cem anos - ela avisou, apreensiva.
-Explique.
- Se eu não comprar Craighill, o abrigo será fechado e eu não sei onde os animais irão parar. Eu não tenho o direito de viver lá como sempre pensei. Meu avô está vendendo o rancho sem me avisar - ela contou.
Ele se esticou, e seu sorriso era muito frio. Obrigado, Theo. Animais desabrigados, tudo do que ele precisava como alavanca. Estava no negócio outra vez. Joe ouviu o resto da explicação sem interromper. .
- Certo, posso ir aí amanhã pela manhã, mas será bem cedo.
O helicóptero de Joe pousou às sete horas.
O coração de Demi pulava, enquanto ela observava sua aproximação. Duas noites consecutivas sem dormir a tinham deixado fraca, o que diminuía sua resistência com relação ao olhar provocador dele. Aquele belo rosto bronzeado não sorriu, e isso significava alguma coisa. Ela estava confusa com relação resposta dele diante de seu pedido. A atitude dele mostrava que a ajuda não estava totalmente descartada.
- Quer tomar um café?
- Não, obrigado. Só posso ficar meia hora - Joe informou diretamente, reparando como a camiseta realçava o volume dos seios dela. Ele desviou a atenção das lembranças antes que o seu corpo reagisse. Joe não olhou para ela até que seus ânimos tivessem esfriado.
- Ótimo, bem... você deve ver isso - Demi mostrou a ele a notificação e começou a contar rapidamente o que o agente lhe dissera no dia anterior.
- Você explicou a situação ontem.
- Não entendo como meu próprio avô pôde fazer isso comigo.
- Theo é um péssimo perdedor ... e como eu também faço parte da mesma categoria, seria imprudência minha fazer algum comentário.
Demi se deparou com o olhar de Joe, que estava muito frio e sombrio.
- Você não seria insensível e cruel como ele.
- Vamos lidar com isso como uma transação comercial - Joe sugeriu.
Demi ficou corada e pegou os papéis que tinha passado para ele.
- O banco não me fará um empréstimo.
- Não foi uma boa ideia ter procurando o banco antes de vir a mim.
- Sim, já entendi. Meu advogado presumiu que eu tivesse condições de comprar o rancho.
- Certamente você não tem...
- Mas eu não quero que você me dê o dinheiro - Demi esclareceu. - Quero que você me empreste.
- Você não tem condições de pagar.
- Se você me desse um tempo maior...
- Não - Joe insistiu sem hesitação. - Não farei isso.
Demi estava constrangida. Por várias vezes nesses anos ele lhe ofereceu ajuda financeira.
- Então, o que vai fazer?
- É lamentável - Joe disse secamente. - Deixe-me ser franco: a não ser que você concorde em continuar sendo minha mulher, eu não farei nada.
- Não está falando sério.
- Pretendo pressioná-la a fazer o que desejo - Joe salientou.
- Não, você não iria...
Ele a encarou com um tranquilo desafio.
- O que você faria? Você nunca me desafiou antes. Eu disse que não queria o divórcio.
- Eu sempre pude contar com você - Demi recordou.
- Não desta vez. Nossos interesses estão em conflito.
- E todos os animais? - Demi perguntou incrédula. - Muitos deles já estão muito velhos para serem readaptados.
- Eu sei.
- Você sacrificaria os animais?
- Não, você irá sacrificá-los? Não haverá sacrifícios se continuar sendo minha mulher.
Demi estava começando a lembrar que nunca tinha conseguido comparara imagem do Joe público com o homem que conhecia na intimidade. Ou o homem que ela acreditou ter conhecido e compreendido. Ele estava certo, ela nunca o tinha contrariado. Não até pedir o divórcio que ele não queria dar. Sua reputação cruel nos negócios era lendária. Ele também não era exatamente um gatinho com as outras mulheres de sua vida. Joe tratou-a, assim como as mulheres de sua família, com tolerância, mas além daquele seleto círculo, ele era famoso por ser frio e insensível.
- Se alguma coisa acontecesse aos animais, eu morreria de culpa...
- Então pare de brigar comigo e todos os seus problemas estarão resolvidos. Enquanto for minha mulher, eu cuidarei de você e seus inimigos serão meus.
Ela sentiu um arrepio na nuca. Os olhos dele estavam muito sombrios.
- Posso adiar a ideia do divórcio.
- Não, tudo ou nada...
- Bem, agora não faria a menor diferença eu me divorciar ou não de você, faria? - Demi retribuiu com uma agressividade incomum. - Certamente não terei um filho sem estabilidade financeira. Se eu desistir do divórcio, você ficará satisfeito? Então me empresta o dinheiro?
- Tudo ou nada. Quero minha mulher em minha cama, onde é o lugar dela.
As bochechas dela estavam em chamas, e as mãos cerradas. Ela olhou para ele com uma descrença furiosa.
- Vá para o inferno.
- Sou um cara à moda antiga - ele murmurou com uma frieza insolente. - Eu teria dormido com você há muito tempo se soubesse que a noite de núpcias não tinha se consumado.
- Mesmo assim, era muito tarde.
- Não acho. Já me disseram que eu tenho um memorável poder de persuasão. Se eu não tivesse com medo de ter extrapolado, você não estaria em busca de liberdade. Você é minha mulher e nunca pensei de outra forma.
- Eu nunca serei sua mulher, nunca.
- A decisão é sua - Joe saiu da sala e Demi saiu atrás dele
- Você não pode me deixar desse jeito – ela gritou..
- Eu posso fazer o que bem entender.
- Se você não voltar atrás no que sugeriu, nunca o perdoarei.
- É um risco que estou disposto a correr.
- Eu posso processá-lo e exigir pensão alimentícia, e você será obrigado a me dar auxílio financeiro - ela protestou.
- O processo se move muito devagar. Você não tem tempo.
- Então acha certo me chutar quando eu estou por baixo?
Com o olhar gélido, Joe a analisou com um sorriso inexpressivo.
- Você é a única mulher que eu pedi em casamento. Ouvir você falar do nosso casamento como sendo uma forma de abuso é intolerável. Eu a trato com respeito.
- Não é com respeito que eu estou sendo tratada.
Joe enfiou a mão no bolso e retirou um pedaço de papel e jogou-o em cima da mesa do hall.

- Se você quer ser tratada com respeito, comporte-se como uma esposa!
_________________________________-
oi gente! tá aí mais um,  acabei de perceber que estou 1 hora atrás de de algumas de vocês pois aqui no Ceará não tem horário de verão kkk
então se eu demorar desculpem.   

17 comentários:

  1. q alivio vc postou ...finalmenrte kkkkk

    ResponderExcluir
  2. postaaaaaaaaaaaa!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. posta ++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  4. joe mal????? fiquei c raiva dele agora ......tomara q demi n se renda e ainda consiga ajuda ....talvez de zac p joe engolir sua arrogancia kkkkk

    ResponderExcluir
  5. joe ñ vai fazer isso c a demi néh???????

    ResponderExcluir
  6. A Ñ DEPOIS DESSA JOE TEM Q SOFRER .......KKKKK ISSO Ñ SE FAZ ....TADINHA DA DEMI.....FAZ ELE SOFRER TÁ ??? KKKKK

    ResponderExcluir
  7. q cretino .....co pode !!!! isso me irritou ...quem joe pensa q é? demi vai ressistir né?

    ResponderExcluir
  8. postaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  9. Estou super ansiosa pra saber como a Demi vai conseguir ajuda.
    Posta logo, por favor!!
    Bju

    ResponderExcluir
  10. vc quer nos matar ...só pode !!!!!! ñ demora p postar

    ResponderExcluir