sábado, 5 de julho de 2014

CAPÍTULO 5 MARATONA

Demi levantou o olhar e piscou os olhos, surpresa. O seu deus grego estava bem ali na sua frente, com um gesso no braço.
- Olá. Senti sua falta, o que aconteceu com seu braço? - perguntou ela, olhando para o gesso e algumas queimaduras no pescoço e no rosto. ele se sentou ao lado dela. Uma pequena briguinha com um incêndio teimoso. Vou ficar um tempo sem poder correr.
Demi sentiu algo estranho enquanto ele se encostava no banco de madeira. Ele estava perto demais, invadindo o espaço dela. Como esse homem conseguia roubar assim o ar que ela respirava?
Sinto muito... - disse ela. - Mas o que houve mais?
Mantenha as coisas amigáveis, ela pensou. O olhar dela foi desviado para a boca do rapaz. Eram lábios tentadores...
Quebrei ao cair de uma escada. Ficarei bem em algumas semanas. Até lá, nada de exercícios.

- É verdade! - exclamou, sorrindo para ele. Um brilho quente começou a dissipar o sentimento estranho que lhe invadira o corpo.
- Meu nome é Joseph Jonas - ele se apresentou.
- Demi Efron - disse ela, apertando-lhe a mão. - Foi sua casa que pegou fogo? - Enquanto dizia seu nome, sentia a mão quente, dura, calejada de Joe. Os olhos escuros do rapaz penetravam os dela.
- Não, não. Sou bombeiro. Estávamos tentando salvar um prédio antigo perto da Masonic. O fogo estava muito forte. Perdemos o controle.
- Oh! É um trabalho perigoso! Fico feliz por não ter acontecido nada de muito grave.
Um bombeiro! É por isso que corre no meio da tarde. Eles não trabalham em dias alternados?
- Você vem sempre ao parque? - perguntou ele.
- Quase todos os dias. Vou sentir faltar daqui, estou de mudança - disse ela.
Hora de acabar com isso. Não havia futuro para uma amizade. Muito em breve, ela estaria de volta ao apartamento do outro lado da cidade que ela e sua mãe dividiam.
- Quando você vai se mudar?
- No final do mês, provavelmente. Meu contrato de aluguel vence no fim de agosto e não vou renová-lo. Bem, preciso ir agora. Até logo!
Demi tinha de sair já, antes que arrumasse um punhado de razões para manter contato com Joe.
Vou caminhar com você - disse ele.
Meu apartamento não fica longe daqui. Não preciso de companhia. Até logo!
Até logo, Demi... ela se virou e saiu do parque. Enquanto esperava o sinal para atravessar a rua, a moça percebeu que ele lhe seguira e estava a alguns passos de distância apenas. Quando o sinal abriu, cruzou a rua depressa e partiu em direção a seu prédio. Ela podia ouvir os passos atrás dela.
Demi se virou e pôs as mãos na cintura.
Você está me seguindo?
Depende do seu ponto de vista - falou ele, em tão bem-humorado.
O que você quer dizer? - perguntou ela, um tanto quanto desconfiada.
Você está indo na mesma direção que eu. Se caminhar atrás de você significa que estou lhe seguindo, então sim, estou. Por outro lado, se virar no final uma rua e eu continuar caminhando, então a resposta é não, não estou lhe seguindo.
Você vai na frente - disse ela. Ele não parecia apresentar perigo, mas ninguém sabe. Na verdade, ela não se sentia ameaçada por um homem de braço quebrado. Um homem que parecia estar rindo dela. Que irritante!
Demi esperou até que Joe passasse por ela e, logo depois, o seguiu. Na outra esquina, ele virou na rua que ela viraria. Como sabia onde ela morava?
Ele olhou para trás e, quando ela entrou na mesma rua, Joe gritou:
- Você está me seguindo?
- Não, eu moro naquele prédio - ela apontou para o edifício à frente.
- É? E eu moro ali, no último andar, no lado direito.
Ela ficou surpresa com aquilo. Seria verdade?
-Você é estudante? - perguntou ele.
Ela balançou a cabeça, dizendo que sim.
-Nota-se. Há muitos estudantes nesse prédio. Prazer em conhecê-la, vizinha...
Joe se virou e entrou no edifício. Quando se aproximou das caixas do correio, apontou para uma delas. Ela se aproximou e leu o nome: J. Jonas
O homem deslizou o dedo pelos nomes e parou no dela, D. Efron. Em seguida, abriu a porta do saguão com a chave e segurou-o para ela.
Demi passou e sentiu o perfume dele. Seu coração acelerou. Que mal haveria nisso? Ela ficaria ali ainda por mais algumas semanas. Tornar-se amigo de alguém não significava ter um elo para a vida toda.
- Obrigada- disse ela ao se dirigir ao elevador. Joe permaneceu próximo aporta, observando-a com os mesmos olhos brilhantes e ar divertido.
- Seria seguir você, se eu fosse no elevador também?
- Uma mulher deve sempre ser cuidadosa - lembrou ela.
- Você está certa. Se você se sente insegura, suba sozinha. Eu espero o próximo.
- Ah, deixe disso. Entre! Moro no quarto andar, em um conjugado.
Demi pensou seriamente se havia cometido um erro quando as portas do elevador se fecharam. Joe parecia preencher todo o espaço ali. Ela tentou ignorar as sensações que se reviravam dentro dela, o sentimento estranho que retornara. Queria conferir os cabelos, ter certeza de que o batom ainda estava no lugar. A blusa larga que usava camuflava a gravidez. Será que ele teria percebido? Ela notava cada detalhe dele: o rosto, a altura quase l,80m, os cabelos-castanhos escuros bem cortados...
Ela ficou muito mais ciente da presença dele do que esperava. Selena, em seu lugar, já teria feito algo para diminuir a estranheza daquele momento mas Demi permanecia com a língua presa.
Felizmente, o elevador chegou no andar dela. Quando as portas se abriram, Joe as segurou para que ela pudesse sair.
- Gostaria de me encontrar no terraço para um drinque mais tarde? - convidou ele.
O prédio tinha um pequeno terraço cujo telhado tinha uma parte em madeira. O dono do edifício permitira aos inquilinos trazer cadeiras e usar o local como um pátio. Demi adorou essa área quando alugou o apartamento no verão passado.
- Demi, onde você estava? - Virgínia vinha pelo corredor, perguntando. - Estou aqui há mais de 20 minutos. Não esperava que você estivesse fora de casa... - disse a sogra, olhando Joe de cima a baixo.
- Quem é esse rapaz?
- É Joseph Jonas, um vizinho. Joe, Virgínia Efron.
- A sogra dela - completou rapidamente. - Venha, Demi, tenho alguns catálogos para lhe mostrar.
Joe viu Demi partir com a megera. Sentindo-se mal, voltou para o elevador e apertou o botão do seu andar.
Ele não sabia que Demi era casada! Tentou se lembrar se havia uma aliança no dedo dela. Se houvesse, certamente teria notado.
Mesmo assim, o que ela estaria fazendo, flertando com homens estranhos se tivesse mesmo um marido?
Ficou decepcionado por ela não estar disponível . Não que ele estivesse à procura de um relacionamento sério. Ela poderia ser apenas uma agradável vizinha com quem pudesse passar um tempo... E se quisesse explorar esse desejo, bem, isso era normal. Mas não se ela fosse casada. Ele não se envolvia com mulher dos outros.

Joe entrou em seu apartamento. Isso é o que ia tentar descobrir e mais coisas sobre a mocinha. Que ilusão a sua! Ou talvez tenha apenas interpretado os fatos de maneira errada. Riu consigo e foi até à cozinha. Pegou um refrigerante gelado e seguiu para o terraço. Não havia mais o que fazer. Estava de licença médica até que fosse liberado para trabalhar. Algo em torno de um mês e meio...

Comentem para mais amanhã!!!

6 comentários:

  1. Que cap maravilhoso!!! OMG perfeito!!
    Ai que raiva dessa "sogra" da Demi!!! Mulher chata!! Posta mais, por favor!! Estou muito curiosa!! Bju!!

    ResponderExcluir
  2. Amei, amei .. Coitado do Joe achando que a Dems é casada... Essa Virgínia é só por Deus!!! Posta mais :)
    Fabíola Barboza ;*

    ResponderExcluir
  3. Posta mais por favor
    Amando essa fic

    ResponderExcluir
  4. Maaaaais por favor!

    ResponderExcluir
  5. Estou amando a história,posta logo e se puder divulga meu blog http://minhapaixaoejemi.blogspot.com.br/ bjsss

    ResponderExcluir